Resenha Crítica de Filme: 127 Horas

Imagine-se em uma situação desesperadora em que você está impedido de sair do lugar, está longe de qualquer alma viva e, para piorar, você não avisou ninguém a respeito de seu paradeiro quando podia fazê-lo. É! Creio que poucas situações podem ser tão desesperadoras. Principalmente quando a morte, que parece ser a única saída disponível, demora dias e dias para chegar.

O lar e a família: presentes sem preço e de valor inestimável

Apesar de o mundo afirmar o contrário, nada tem mais importância e nada proporciona maior alegria do que um lar cheio de amor e respeito. No verdadeiro Evangelho de Jesus Cristo, a família é o bem de maior valor que podemos receber, e do qual temos a chance de nunca nos separar. Na edição de agosto deste ano da revista A Liahona, uma compilação de vários discursos de nosso querido presidente Thomas S. Monson elucida pontos básicos de uma família bem sucedida e nos ensina como caminhar para alcançar o verdadeiro e puro amor no lar. Às vezes nos queixamos que nada vai bem em casa, que meu marido, minha mulher ou meus filhos não me dão o devido respeito. Pergunto então: o que você está tentando fazer para mudar esse conceito além de reclamar e exigir mudança alheia? O transformação começa em nós. Não podemos forçar que os outros façam ou sejam aquilo que desejamos. A única atitude que pode fazer a diferença é aquela que parte de nós e que pode influenciar positiva ou negativamente os outros.

Resenha Crítica de Filme: Rio

Não há como contestar que Carlos Saldanha é o diretor cinematográfico estrela de nosso país. Não só pelo incrível talento, mas também pelo sucesso que fez lá fora dirigindo os longas A Era do Gelo 2 e 3, com co-produção do primeiro filme da trilogia, além de outros menos conhecidos, como Robôs. Claro que ele aproveitou seu currículo magnífico e lutou para ficar pelos terrenos hollywoodianos mesmo, mas como um bom brasileiro, nunca abandonou completamente os ares da terra natal.