Resenha Crítica de Cinema: Corajosos

Há mais de dois anos, quando assisti pela primeira vez à história de Caleb Holt e sua incrível tentativa de salvar seu casamento, no filme baseado no livro homônimo À Prova de Fogo, fiquei bastante curiosa para conhecer a mente brilhante que havia conseguido produzir um filme evangélico, e conquistar fãs não necessariamente cristãos. Na minha mera e insignificante opinião, tal feito é uma grande conquista, já que, não sei porque motivo, geralmente os cinéfilos não gostam de misturar cinema com religiosidade, ou muitos dos que gostam estão escondidos por aí, como eu =). De qualquer modo, essa mistura, À Prova de Fogo, foi fascinante, tanto quanto outra produção dos irmãos Kendrick, intitulada Corajosos.

Sinopse: O policial Adam, interpretado por Alex Kendrick, produtor do filme e escritor de vários livros, incluindo À Prova de Fogo, tem uma bela família, e ótimos colegas de trabalho. No entanto, tem um pouco de dificuldade em lidar com seu filho adolescente Dylan, por quem não faz muita questão de se sacrificar. Mas por sua filha Emily, Adam é completamente apaixonado. Ao lado de Nathan, Shane e David, Adam busca ser um grande policial e combater todos os males de sua pequena, mas relativamente perigosa cidade. Em meio a tanto compromisso, Adam poucas vezes se preocupou com sua conduta como pai, até que uma informação sobre o grande mal que a ausência de um pai provoca na vida dos filhos, e posteriormente uma tragédia em sua própria vida o impulsionam a mudar completamente suas atitudes. Juntamente com seus amigos, Adam decide que precisa mudar como pai, e cria um estatuto, comprometendo-se com Deus a dar tudo de si para fazer de seus filhos pessoas de bem e fieis a Deus até o fim da vida.

Crítica: Muito eu já havia ouvido falar sobre o tal Alex Kendrick e sua habilidade em persuadir as pessoas a tomarem boas decisões por intermédio de seus inúmeros trabalhos, mas quando assisti ao filme Corajosos não fazia ideia de que Alex também atuava. Na verdade, quando assisti ao filme, nem imaginava que Adam era um dos irmãos Kendrick. E, confesso, fiquei impressionada com tamanho talento, porque, além de ter uma família numerosa (seis filhos), escrever livros, produzir filmes e atuar neles, Alex ainda compõe músicas, em sua maioria, trilhas sonoras de seus longas. Sobre o filme em si, tenho somente elogios. Todo ele é baseado em como as famílias são afetadas quando o homem não cumpre bem seu papel dentro de um lar. Não pense que isso é machismo, porque não é. A mensagem é que os filhos precisam de bons pais, o que apenas retrata a dura realidade: quando os pais são ausentes, certamente o futuro mostra na vida dos filhos o quanto essa ausência deixa marcas profundas, marcas negativas. E de uma forma bem dramática, mas com pequenas cenas divertidas, o longa conseguiu mostrar que nada pode ter mais valor do que nossos filhos e os princípios que ensinamos a eles, tais como benevolência, abnegação, honestidade, pureza moral e de caráter. Todo o homem que é pai ou deseja ser deveria assistir ao filme Corajosos e depois fazer um próprio estatuto com Deus comprometendo-se a dar tudo de si para fazer o que for preciso para preparar o caminho do bem aos filhos.

Minha Nota: 10,0

Comente com o Facebook:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...