Resenha Crítica de Filme: Onde Vivem os Monstros

Muita gente classificou Onde Vivem os Monstros como um filme infantil, mas melhor dizendo, ele é mais um filme sobre infância, que com certeza agrada mais adultos do que crianças, já que trata de conflitos internos bem profundos, que crianças, até mesmo as crescidinhas com seus 12 anos, vão ter dificuldades de compreender.

Max, um menino de seus 10 anos, desentende-se com sua mãe e sai correndo pelas ruas escuras de seu bairro, até que chega a um barco e navega até uma ilha distante e desconhecida. Lá chegando encontra vários monstros, com quem constrói um relacionamento amigável e afetuoso. Mas, liberto das exigências de sua mãe, o menino põe todos os seus anseios para fora, e fingindo ser um rei de outro mundo, põe "ordem" ao lugar, a seu modo, fazendo muita bagunça. O que ele não esperava é que esse seu modo de viver acabaria lhe dando dor de cabeça.

Claro que tudo é fruto de sua imaginação, mas uma imaginação bem real para o garoto. E com certeza o filme ensina algumas lições. O menino, solitário e revoltado por não ter amigos, ter uma irmã mais velha que não lhe dá atenção, e uma mãe atarefada que não tem tempo para ele, foge de seu mundo real acreditando que os problemas ficarão para trás, mas aprende que eles correm atrás dele, onde quer que ele esteja. E que às vezes nós vemos "defeitos" somente nos outros, mas esquecemos que nós também somos seres humanos, imperfeitos e cheios de conflitos a serem resolvidos. Para os pais gera uma boa reflexão de que os filhos precisam muito de carinho, atenção e pelo menos um irmãozinho... rsrsrsrs...

O filme é interessante e bem peculiar, mas é um tanto chato, desgastante, não oferece muita novidade. Mas tenho que dar um crédito para a atuação do menino, ele é uma graça e representou direitinho as características de uma criança confusa de 10 anos.

Minha nota: 7,0

Comente com o Facebook:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...