Resenha Crítica de Cinema: À Procura da Felicidade

O mundo está cheio de barbaridades, você não acha? E, vou ser honesta, essa repercussão excessiva dos problemas que assolam toda a face da Terra, como violência, miséria, intolerância, preconceito, tanto em noticiários, quanto em filmes e séries de TV, novelas, etc, me deixam um tanto incomodada. Afinal, apesar de aparentemente essas desgraças estarem aumentando, ainda há coisas boas para serem retratadas e servirem de inspiração para a sociedade. E já que a mídia tem um poder absurdo de influência, quem está por trás das câmeras deveria usá-lo para melhorar o mundo, e não piorá-lo.

Provavelmente, você está pensando "bah! Mas que guria cafona e quadrada". Quem sabe não de forma tão gaúcha assim, mas de qualquer jeito com a mesma tradução. Mas sabe por que digo isso? Porque as redes sociais estão recheadas de mensagens de pessoas que desejam melhorar o mundo com protestos teóricos, só que, no fundo, ficam na passividade. Quem sabe eu esteja até inclusa nesse grupo. Sabe lá o que estou fazendo para mudar mundo? De qualquer modo, voltando ao assunto, a mídia deveria usar mais seu poder de persuasão para produzir materiais que influenciassem positivamente o público. Como é o caso de alguns filmes, entre eles À Procura da Felicidade, estrelado por Will Smith.

Sinopse: Chris Gardner (Will Smith) é um homem batalhador, pai e esposo dedicado, mas que apesar de todo seu empenho, não consegue superar por muito tempo os problemas financeiros. Na tentativa desesperada de não deixar sua família passar por necessidades, arruma um emprego que, além de não ser rentável, ainda lhe deixa mais ainda na pior. Em meio a todos os desafios, Chris espera o apoio da esposa (Thandie Newton), que extremamente exigente e já cansada dos insucessos do marido, decide abandoná-lo e também o filho Christopher (Jaden Smith) de apenas cinco anos. Apesar de todos os desafios, Chris não desiste e acaba conseguindo um estágio voluntário numa grande empresa. Dedica-se ao máximo, na esperança de que, passado o período de estágio, consiga uma vaga como empregado contratado. Enquanto isso, seus problemas financeiros não param de aparecer, e, junto com o filho, Chris acaba sendo despejado, tendo que dormir em estações de trem, abrigos para sem-teto ou mesmo em banheiros públicos. Mas é claro que todo o esforço e toda a fé de Chris acabam lhe rendendo um futuro brilhante.

Crítica: O filme apresenta um grande exemplo de dedicação e superação. Esse contexto simples, quem sabe, não agrade grande parte do público que espera por mais ação, aventura, fantasia e grande efeitos especiais. Ainda assim, o filme ensina lições preciosas de como a batalha diária, apesar de dura e cansativa, sempre dá bons resultados, mesmo que eles não venham com a agilidade que esperamos. Não é uma história para ativar a adrenalina nem estimular os hormônios, mas é uma boa ferramenta de estímulo para tirar as pedras de tropeço que aparecem em nosso caminho. Por isso digo, é um gênero que deveria ser mais explorado e ocupar o lugar de, por exemplo, tanta comédia tosca e filmes com tanta desgraça e violência que de nada servem e em nada contribuem. Will Smith atuou maravilhosamente bem ao lado do pequeno Jaden, seu filho tanto no filme quanto na vida real. E Thandie não ficou para trás. Atriz sempre maravilhosa e que encarna lindamente qualquer papel. O filme é bem velho, mas não saiu de moda.

Minha Nota: 10,0


Achei até o filme completo por aqui

Comente com o Facebook:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...