Resenha Crítica de Livro: O Hobbit

O famoso filme O Hobbit - Uma Jornada Inesperada, primeira parte do livro de mesmo nome, do autor J. R. R. Tolkien, está prestes a ser lançado nos cinemas, e a expectativa do público já é muito grande. Não é para menos, a história é maravilhosa, e cheia de aventuras e tiradas divertidas, da maneira como eu gosto, ou qualquer adulto com espírito jovem, quase infantil. O livro, claro, sempre traz detalhes extras, mas pelo suor que foi colocar essa produção no ar, o filme tende a ser muito bom. Vamos esperar para ver.

Sinopse: Bilbo Bolseiro é da espécie dos hobbits, homenzinhos bem pequenos, mas diferentes dos anões, e na maioria das vezes, até menor que eles. O caso é que Bilbo é um hobbit bem tranquilo, que gosta de sua vida pacata, organizada e confortável, sem muita agitação. Um dia, no entanto, um mago, Gandalf, aparece em sua porta com um bando de anõezinhos, e arrasta Bilbo para uma baita aventura: roubar o tesouro guardado por Smaug, um dragão imenso e furioso, que está em uma terra bem distante da de Bilbo. É claro que ele vai, sem esperar encontrar todos os inúmeros perigos e aventuras que aparecem na sua frente, tais como, além do dragão, uma floresta negra amedrontadora, aranhas enormes e horríveis, o tão famoso anel que o deixa invisível, mas com ele, Gollum, o dono desse anel, que o considera seu bem mais preciso, e mais um monte de coisas que fizeram Bilbo se perguntar algumas vezes "por que fui me meter nisso?". No entanto, o verdadeiro tesouro que Bilbo acaba descobrindo durante essa viagem tem um valor muito maior do que o ouro e a prata guardados seguramente pelo temível dragão.

Crítica: A obra não poderia ser mais deliciosa. O autor caprichou na criatividade e a narrativa faz com que o leitor devore a história do início ao fim. Cada capítulo dá um desejo maior de saber a continuidade e o desfecho dessa aventura. O autor tem o dom de cativar o leitor, especialmente porque dá umas pausas, para esclarecer alguns detalhes que ficam nos bastidores, dando a clara impressão de que a narrativa é real. É bacana o ar de heroísmo dirigido ao hobbit, sempre que ele salva seus amigos. Fazendo com que o pequeno ladrãozinho descubra que tem mais potencial do que imagina. Chega até mesmo a ser inspirador. E certamente a aventura mais empolgante é quando ele finalmente dá de caras com Smaug, o dragão. Mas de um modo geral, todo o enredo é de tirar o chapéu, com tantas aventuras fantásticas, e óbvio, irreais, mas que ainda assim, interagem com o leitor de forma que tudo pareça um mundo real. Só lendo mesmo para entender. Tolkien, enquanto vivio, só podia ter um espírito jovem muito arraigado dentro de si. Por isso ele continua sendo tão aclamado, mesmo tantos anos depois de sua morte. Só não dou nota máxima, porque em alguns poucos momentos, eu me distraí, e acabei perdendo a narrativa. Mas só porque estava com umas dores muito fortes na barriga, e passei alguns dias de cão, e eles coincidiram com os dias em que lia o livro. Afora isso, o livro é excelente, e esperamos com ansiedade que os filmes também sejam.

Minha Nota: 9,0

Abaixo veja o trailer do filme que será lançado em dezembro

Comente com o Facebook:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...