Resenha Crítica de Filme: A Mulher de Preto

Quem um dia imaginou Daniel Radcliffe na pele de outro personagem senão Harry Potter? É, depois de o grande sucesso ter acabado, é claro que ele teria que encarar outros desafios, por isso incorporou o papel de Arthur Kipps, em um dos filmes mais macabros da atualidade, A Mulher de Preto. Aliás, atual exatamente a produção não é, porque o filme é baseado na obra literária de mesmo nome (Woman in Black em inglês), de Susan Hill, e já havia sido filmado em 1989.

O jovem e viúvo pai Arthur é convocado pelo chefe para fazer uma missão tenebrosa: organizar e regulamentar a documentação de uma antiga mansão abandonada, localizada em uma cidade sombria, deprimente e misteriosa. Responsável e preocupado com o único filho, Arthur aceita o trabalho. Mas quando chega e fica completamente sozinho e isolado no local designado, o jovem começa a ter sensações desagradáveis na casa, inclusive a impressão de ver a imagem de uma mulher estranha vestida de preto.

Acontecimentos sinistros e fatalidades que passam a acontecer na cidade fazem com que a população acredite que eles estão relacionados ao fato de Arthur ter visto a mulher, por isso, quase todos começam a exigir que Arthur se afaste da cidade e não volte mais à mansão em hipótese alguma. O problema é que um novo amigo de Arthur influencia o jovem a não acreditar muito nessa maldição na qual a população tanto acredita. E embora fique com o pé atrás, decide continuar a expedição para conseguir cumprir com sua tarefa. Quando ele mesmo encara uma grande fatalidade e percebe por conta que ela, de fato, é relacionada com a mulher de preto, seus conceitos mudam na hora, e sua missão também. Agora, Arthur luta para descobrir o que a mulher tanto deseja.

Embora tenha cenas bastante assustadoras, o filme não conta com um enredo muito original, nem com atuações fantásticas, incluindo a de Radcliffe, que parece ainda estar em fase de se acostumar com novidades na sua carreira. Ainda assim, vale uns bons sustos e não é de se jogar fora. Pode ser avaliado como um bom suspense, mas não como uma grande obra.

Minha Nota: 7,0

Veja o trailer legendado



Também encontrei o primeiro filme produzido, em 1989. Pena não ter legenda...


Comente com o Facebook:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...