Resenha Crítica de Livro: Por que os homens fazem sexo e as mulheres fazem amor?

"Por que mulher no volante não enxerga o meio-fio da calçada? Por que o homem não acha um pote de margarina na geladeira que está bem no seu nariz? Por que quando estressados os homens se calam e as mulheres falam tanto? Por que os homens fazem sexo e as mulheres fazem amor?". Quem nunca se fez pelo menos uma dessas perguntas? Ou quem nunca ouviu falar do grande sucesso que foi o livro do casal Allan e Barbara Pease desde o ano de lançamento (2000) até sempre?


Conversando com minha psicóloga recentemente, comentamos alguns trechos do livro Por que os homens fazem sexo e as mulheres fazem amor?, que trata das grandes diferenças existentes entre a mente e o coração do homem e da mulher. Já o li faz tempo, mas não dá para esquecer a genialidade dos autores que buscaram nas suas próprias experiências de casados, e nas de outrem também, uma maneira de encontrar um equilíbrio entre a distinção evidente dos sexos. E melhor, repassaram essas experiências para os leitores que os ajudaram, com certeza, a evitar assassinatos conjugais... hehehehe... É óbvio que estou brincando, mas digo isso porque os sentimentos e o modo de pensar da mulher e do homem são tão diferentes que é muito difícil que, especialmente na vida conjugal, os casais não entrem em conflito por detalhes tão banais, mas que sendo vistos de maneira tão particular, acabam se tornando um oceano dentro de uma caneca.

Apesar de ter sido escrito para ajudar os homens a entenderem um pouco melhor as mulheres (é possível isso?), e vice-versa, não posso classificá-lo como um livro de auto-ajuda, porque você não vai encontrar drama, pieguice, frases melosas de motivação, mas sim muito humor com as complicadas peculiaridades dos homens e das mulheres. O mais legal do livro foi o teste logo do início do livro que aponta o nível de masculinidade e feminilidade do cérebro. Depois dele, ficou mais difícil para mim julgar tanto os homens, porque meu cérebro pende para os dois lados, tenho muitas atitudes de macho... hehehe

Vou ter que acabar com um trecho do livro. Preste bem atenção, hein!

O relaxante passeio de carro pelo vale a apenas algumas horas de distância parecia o início de mais um fim de semana agradável. Como a estrada ficava cada vez mais sinuosa, serpenteando pelas encostas, John desligou o rádio. Assim, se concentrava melhor na direção. Não conseguia prestar atenção nas curvas e na música ao mesmo tempo.
- John - disse Allison, a namorada. - Quer tomar um cafezinho?
John sorriu.
- Não, obrigado, não estou com vontade - respondeu, pensando em como ela era atenciosa.
Minutos mais tarde, ele percebeu que Allison tinha ficado em silêncio e suspeitou que podia ter feito alguma coisa errada.
- Está tudo bem, querida?
- Tudo ótimo! - ela disparou.
Confuso, John perguntou:
- Então, qual é o problema?
- Você não podia ter parado? - Ela arfava, irritada. A mente analítica de John tentou sem sucesso identificar o momento em que ela teria pronunciado a palavra "parar". Quando disse isso a Allison, ouviu como resposta que "devia ser mais sensível" - ao sugerir o café, ela estava indicando que queria um.
- E eu sou obrigado a ler os seus pensamentos? - ele perguntou com ironia.
Outra exclamação masculina irritada que se ouve por toda parte é: "Vá direto ao ponto!" A mulher, quando quer insinuar ou fazer rodeios, usa um tipo de discurso indireto. Essa é uma especialidade feminina e serve a um propósito específico: a aproximação, evitando agressões, confrontos ou discordâncias. Cai como uma luva para o papel de guardiã da cria e defensora da paz. No campo profissional, o modo de falar feminino pode ser desastroso, pois os homens não conseguem seguir um raciocínio sinuoso e indireto e acabam virando as costas ao que talvez fossem boas sugestões e propostas. Uma conversa cheia de rodeios pode ser excelente para estabelecer relacionamentos, mas não serve de nada quando se trata do controle de um carro ou avião, em que as informações têm que ser absolutamente claras. Com um homem a fala indireta pode ser terrível. O homem percebe o que é dito literalmente. Mas, com prática e paciência, homem e mulher podem aprender a se entender.

Vai dizer que nunca aconteceu nada parecido com você? Das duas uma: ou você nunca namorou ou você é completamente surdo.

Clique aqui para ler um pouco mais do livro

Minha Nota: 8,0

Comente com o Facebook:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...